CHANGE FOR YOUR LANGUAGE.

ROBERTO LAURINDO- RADIOAMADOR BRASILEIRO

Minha foto
PRAIA GRANDE, SÃO PAULO, Brazil
SE VOCÊ GOSTA DE CW O SEU LUGAR É AQUI. AMATEUR RADIO THAT NEVER CW, A POET'S HOW YOU DO NOT KNOW VERSES.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

YAESU FT 857D x ICOM 706MKIIG- QUAL O MELHOR E PORQUE.



Yaesu FT 857D x ICOM 706mkIIg
por pt2vhf em Seg Ago 21, 2006 10:20 am
Olá turma. Dos 2, qual o melhor? Por quê?
Obrigado!
Alex, PT2VHF


________________________________________

por pt2vhf em Seg Ago 21, 2006 10:21 am
Alô Alex bom dia
Aproveitando que estou no estaleiro em casa(entorse no tornozelo) tenho um bom tempo para dissertar sobre este assunto.
No primeiro semestre deste ano tinha a mesma dúvida que vc e resolvi cair no campo das pesquisas para saná-las. O meu primeiro passo foi colher as diversas opiniões dos usuários de ambos equipamentos , e depois de muitas conversas e trocas de e-mails, cheguei a uma conclusão que na verdade já desconfiava, cada um dono de equipamento "puxa" para seu lado, ou seja quem tinha o 857 falava só das coisas boas dos equipamentos e quem tinha o 706 também, conclui que não conseguiria chegar a lugar nenhum com as opiniões dos usuários. Então o que fazer ? resolvi pesquisar tecnicamente com os dados que fabricas colocam em seus manuais, tenho agora , nesta segunda fase ou tentativa a ajuda de sites americanos como o da ARRL com comparativos técnicos e que analisam os equipamentos (em separado) e cheguei a minha segunda conclusão: técnicamente são muito parecidos, com uma vantagem inicial para o 857d devido a ser um projeto mais recente e já Incorporam tecnologia de equipamentos consagrados como a do DSP do FT-1000, apesar de ser menor tem um sistema eficiente de dissipação de calor e aquece menos que o 706, causando menor desgaste por "envelhecimento precoce" que é o maior inimigo dos componentes eletrônicos. O 706 tem a seu favor ser um projeto consagrado e muito testado, já na terceira versão já tem alguns bug´s de projeto corrigidos coisa que o 857D apesar de ser um projeto mais pensado afinal a Yaesu já cometeu um grande erro ao lançar o FT-100 na "correria" e com erros de subdimencionamento, não poderia cometer novamente este tipo de erro, (a Yaesu tem como concepção rádios confiáveis desde dos primeiros equipamentos), e correria o risco de ficar marcada de incapacidade de prover bons equipamentos móveis desta classe, assim este projeto que é o mesmo do FT-897 foi exaustivamente testado para resgatar a imagem da companhia frente ao fracasso do FT-100.
Com estes dados pesquisados em mãos, resolvi tirar a minha própria prova de bancada, afinal opinião se forma com experiências e resolvi tirar a minha. Meu foco da experiência foi na parte de recepção, pois para transmitir temos algumas recursos para melhorar e na recepção se o radio for "surdo" ou um nível sinal ruído ruim, de pouco adianta melhorar que mesmo assim ficaremos com deficiência.
O primeiro passo foi ter os equipamentos a serem testados, como já tinha um 706 MKII, e um amigo estava dispondo de um 857D novo sem uso, resolvi investir não só para teste mais também para ter o equipamento, na primeira fase coloquei os rádios ligados em paralelo, em um "t", e com cabos coaxiais do mesmo tamanho entre o t e os equipamentos (para "enxergarem" a mesma impedância mesmo que essas fossem diferentes de 50 Oms teriam a mesma condição) e liguei as minhas antenas na entrada do "t", como minha intenção era de simplesmente comparar a recepção não importava se teria uma perda maior por falta de acoplagens de antenas ou impedâncias, e passeei a compará-los sinal a sinal. Para minha surpresa inicial nas bandas de 40 e 80 o "VELHO" MKII foi muito valente e cheguei a achar que se fosse o MKIIG o 857 não teria chance, foi realmente um empate técnico sem vantagem para nenhum dos lados, ou seja, o MKII estava ainda atualizado junto a estes equipamentos lançados recentemente , sinal ruído, sensibilidade ambos idênticos, coloco que não foi um teste técnico e sim operacional , o que meu ouvido me dizia era anotado sem equipamentos técnicos, pois mensuração técnica já foram feitos em campo de provas das companhias o qual não tinha a mínima idéia de contestar pois não tenho os recursos que eles dispunham, e no "ouvido" é o que observei. Nas bandas mais altas 20, 15, 10 e 6m começou a aparecer as diferenças a favor do 857D, o equipamento da Yaesu tem por um excelente DSP, que tem uma atenuação muito pequena e que auxilia confortavelmente a audição humana, sem "espremer" o áudio e assim se tornando aos sinais mais débeis serem, mais interpretados com maior conforto e nitidez, realmente parecia que "limpava" a banda a passagem de um equipamento para o outro, assim eu pensei, a diferença é porque estou com um equipamento com DSP e outro sem , é covardia não?, acreditei que sim e passei a parte superior de VHF só para concluir, afinal a diferença era covarde. Em 144 MHz o 706 me deu um infeliz resultado, não tem a estabilidade necessária para chegar nestas freqüências sem diferenças, então o que me mostrava no seu frequêncímetro não era real, uma diferença de até 30 Hz isso para SSB e CW é mortal para quem usa o frequêncímetro como referência e não a "sintonia real" pelo ouvido. desisti de compará-los nesta banda afinal poderia até ser um problema do meu velho 706 não é, achei que sim.
Passado alguns dias e já com a conclusão que o 706 era pior que o novo equipamento adquirido resolvi passar um e ficar com o equipamento da Yaesu, foi quando o meu visinho adquiriu um 706MKIIG novo e sem uso, conversei com ele e fizemos os mesmos testes que tinha efetuado com o 706MKII. Inicialmente ele se porta com uma recepção mais plana e menos aguda característica do MKII e parecida com o 857D, com tons menos agressivos ao ouvido humano. passamos aos testes:
Novamente para minha surpresa nas bandas baixas 40 e 80 o "novo" 706, perdeu em quase 2 db para o 857d ou seja perderia até par ao velhinho MKII, pensei o DSP full do 706 causa esta atenuação que para sinais débeis, vc realmente deixa de ouvir uma estação lhe chamar ou mesmo uma figurinha chamando geral não será escutada, já com a pulga atrás da orelha continuei nas bandas de HF que faltava, 20,15 e 10, e o MKIIG começou a recuperar o terreno perdido, melhorou consideravelmente a relação do nível sinal ruído, e realmente se equiparou ao 857D , só perdendo realmente no DSP do 857 que realmente é espetacular e ai fica a diferença de um projeto envelhecido com retoques (MKIIG) a um projeto recente, enquanto no 706 você esmagava o sinal utilizando os recursos de DSP no 857 era um enriquecimento de áudio em relação ao ruído com poucas perdas de sensibilidade.
chegamos ao VHF, o trabalho do DSP nesta bandas (50 e 144) pode ser menosprezando devido ao baixíssimo nível de ruído que tenho, e assim não posso considerar o trabalho em um grande centro aonde nível de ruído e infinitamente maior, eles tem praticamente o a mesma recepção com uma vantagem pequena quase que imperceptível para o 857, diria até que se fosse em um local aonde o ruído for maior será realmente imperceptível, mais o novo MKIIG se mostrou com o mesmo suposto problema acusado pelo MKII uma diferença acentuada netre a freqüência real e a mostrada pelo frequencímetro que agora era de +/- 20 hz ainda muito alto para SSB e CW. levando ainda para o UHF essa diferença se tornou mais acentuada ainda ficando na casa de quase 01 kHz dira absurda para um equipamento estável para utilização em DX, coloco que as minhas observações foram em uma peça somente posso ter tido o azar de ser um problema de ajuste, mais não creio.

Diante dos testes e fatos por mim observados, não entrarei em polêmica de opiniões, tenho minha convicção que o FT 857D tem suas vantagens sobre o 706 MKIIG, no que tange a recepção conforme acima, ainda vejo uma melhor transmissão, tendo um variedade boa de configurações de áudio, maior potência em UHF, melhor estabilidade, e na parte funcional entre os vários menus muito otimizado. teclas configuráveis para funções principais, configuração por cores por banda que é interessante para o uso móvel assim como o acesso facilitado para os botões modais.

em minha opinião o 857D é melhor por ser mais novo e um projeto mais atual.

PS- não sou usuário de nenhum dos dois pois vendi ambos para compra de um equipamento maior em maio deste ano.

73´s
Fábio


________________________________________

Caro Fabio e amigos, boa tarde.

Gostaria de fazer um comentário à ótima mensagem do Fabio: Hoje em dia é muito fácil construir um receptor com excelente sensibilidade.

Qualquer porcaria feita em casa pode obter rendimento excepcional no quesito sensibilidade. Qualquer projeto caseiro moderno consegue figuras de 0,50 dB SINAD ou menos, (sendo 0 dBu 1 mV) em HF, SSB. O bicho pega é quando aparece um sinal forte próximo ao sinal que estamos sintonizando.
Aí é que nos lembramos da seletividade, e seletividade com sensibilidade custa caro. Como dizem os americanos, não existe almoço grátis. Somente em rádios mais caros do que os dois citados para se alcançar as duas metas concomitantemente. No quesito sensibilidade/seletividade em conjunto, o 857 tem uma performance melhor do que a do 706MkII. Se comparar com o 706 MKI, é covardia. Esse primeiro 706 é terrível na presença de sinais próximos. No CW, então, nem precisa ser muito próximo para obnubilar (êita, nós!...) completamente a recepção do sinal que queremos ouvir.

Eu ficaria com o 857D. O projeto é muito bom, o DSP é avançado (ao contrário do MKII, que apenas adicionou o DSP que antes era opcional do
MKI) e, o mais importante, eu gosto da Yaesu (hihihihi...).

Fte 73!

-----------------------------------
Olá,


Tenho o FT-897D que tem estrutura 90% do 857D e posso dizer que é um rádio estraordinário, principalmente do ponto de vista estrutural/dissipação e projeto.

Sem contar que suas funções ultrapassam em muito a necessidade de um usuário intermediário, como eu que utilizo somente as funções básicas de um bom rádio multibanda.

Opero SSB, e todos os modos digitais com ele, inclusive podendo operar o rádio 100% via internet.

eu ficaria com a linha da YAESU 857D com certeza.

73 PY5RX
Fabiano



________________________________________
Amigos, vou dar meu pitaco e quem sabe até aparece um negocio hein...hihihih.........eu já ofereci o meu IC-706MKII + ATU1 (Acoplador Automático da Teico) em troca de um FT-857D e o cara negou........fiquei doente, e na verdade estou apaixonado pelo rádio até hoje.....mas um dia eu chego lá ok.

ZZ1EBJ
________________________________________

Pessoal,

Falando em recepção, lembro que operei um concurso com 706 emprestado e lá pelos 30 MHz monitorei muitos sinais de radiodifusão internacional que, na verdade, estavam ainda nas Ondas Curtas mas em QRGs bem mais baixas.

Em outra operação, mas nos 160 metros, o FT-767GX imprimiu sinais mais "perceptíveis" de algumas estações em relação ao 706 (não me lembro a
versão) com a mesma antena. Apesar da subjetividade na avaliação a diferença era clara.

Por outro lado em expedições nos 6 metros não notei maiores dificuldades no 706.

Ainda em recepção, estou com o kit SDR mas para HF. Creio que no futuro será viabilizado o circuito/codificação para VHF acima, imagino nas QRGs de chamada ou dos beacons. Por sinal, parabéns Marcínio pelo retorno do rádio-farol, bem como Pedro e Rafael com as novas balizas.

Flávio Archangelo PY2ZX
________________________________________

Grato Anderson pela leitura e aprovação, e relendo realmente não sitei em nenhum momento o quesito seletividade, mais considere que em meus testes quando coloco minhas observações na sensibilidade e nível sinal ruído, está embutido neles a seletividade, que de fato deveria ter mensionado pois é como vc bem explanou um quesito de extrema importância, mais engordo o côro a favor da seletividade do 857D.

aproveitando gostaria de contar com sua presença no nosso grupo informal de aficionados por Dx, concursos e experiências aqui do Rio, o Rio DX Group, sem formalidades ou coisas que o valha é uma lista de discussão voltada a promover o Radio de competição e de experimentação ( http://br.groups.yahoo.com/group/RIO-DX-GROUP/ )

73´s
Fábio
________________________________________
ORIGINAL EM: http://www.radioamadorismo.org.br/viewtopic.php?f=23&t=59

2 comentários:

  1. Boa tarde Fabio,
    Depois de um período de silêncio estou retornando ao radioamadoreismo e minha dúvida estava entre o FT 857D da Yaesu e o ICOM 706MKII. Achei interesante seus comentários com fundamento nos estudos operacionais que realizou, principalmente porque gosto de CW. Estou convencido e decidido pelo FT 857D-DSP.
    Valeu!!!! - PP2CD, Celso.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!

    Sou aspirante a radioamador, e realmente fico aliviado por encontrar esta, para mim, perfeita explicação sobre estes dois radios. Pensava comigo: "qual comprar?" puxa, dúvida cruel. Só tenho a agradecer a vocês, radioamadores. Mas ainda tenho uma pergunta, se puderem me responder estarei sempre agradecido.Já sei que o FT-857D é um rádio excelente, compraria o FT-897 também, mas, e o FT-817ND, também achei um rádio interessante por sua versatilidade. Agora fico entre estes três. Sei também que vai depender do meu perfil de operador. mas...Alguém pode me ajudar??? Agradeço desde já!

    Ailton

    ResponderExcluir