CHANGE FOR YOUR LANGUAGE.

ROBERTO LAURINDO- RADIOAMADOR BRASILEIRO

Minha foto
PRAIA GRANDE, SÃO PAULO, Brazil
SE VOCÊ GOSTA DE CW O SEU LUGAR É AQUI. AMATEUR RADIO THAT NEVER CW, A POET'S HOW YOU DO NOT KNOW VERSES.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

-RADIOAMADOR FAZ CONTATO EM CW DE 600 MILHAS (960 KILOMETROS)E AUXILIA NO RESGATE DE MONTANHISTA FERIDO.



Glenn Russell Ruby Jr, W7AU, de Corvallis, Oregon, quebrou a perna enquanto caminhava na Buck Creek Pass, área das Montanhas Cascade. Seu pedido de socorro foi ouvido a 600 milhas(960 quilômetros), por Bob Williams- N7ODM, de Bozeman- Montana.
No domingo, 21 de setembro, Bob Williams- N7ODM, de Bozeman- Montana, sintonizava os 40 metros, fazendo uns testes na frequência, já que havia combinado um QSO com seu irmão Rich- K7URU, de Spokane, quando ele ouviu um sinal de CW cerca de 1 hora da tarde. Glenn Russell Ruby Jr- W7AU, de Corvallis- Oregon, tinha quebrado a perna e estava usando um rádio portátil e código Morse para enviar um pedido de socorro. Williams disse que ele era capaz de entender o código até que o seu sinal se tornou muito fraco.
"Ele chamou-me. Ele deveria ter me ouvido testar o rádio. Quando eu terminei de dar meu indicativo de chamada, eu o ouvi: 'N7ODM, aqui é W7AU / 7,'e então eu respondi," disse Williams à ARRL . "Eu disse a ele para ir em frente,que eu tinha sólida cópia dele. Ele me disse que ele era um montanhista e que tinha caído e quebrado a perna. Ele identificou-se como Russ, forneceu informações quanto às suas coordenadas através do GPS, como era seu abrigo,que tinha comida e água próximo a ele, assim como o seu condicionamento físico em detalhes. Ele me disse exatamente com quem eu precisava entrar em contato para obter socorro. "
De acordo com Williams, Ruby tinha escorregado em uma rocha molhada e quebrado a perna enquanto caminhava no Buck Creek Pass área de Cascades, em Washington Ocidental, 600 milhas (960 kilometros) a partir de onde Williams se encontrava. "Antes mesmo de chamar por socorro, ele montou sua barraca de acampamento. Estava chovendo quando ele caiu, então ele entrou em sua barraca e vestiu algumas roupas quentes. Comeu um lanche de sementes de girassol e damascos secos. Depois disso, ele estendeu o fio da antena, até seu Elecraft K1 e me chamou em CW. " Williams disse a Ruby que tinha carga de bateria" para o rádio, para duas semanas.
Williams pediu para notificar o comando de Busca e Salvamento no Estado de Washington. "Eu não tinha o número telefonico,e então chamei a emergencia-911.Tudo que eles tinham era a informação: Condado de King, em Washington, então chamei-os e eles deram-me o número de Snohomish. Quando contatei Snohomish County- Busca e Salvamento, eles me pediram para obter informações adicionais de Russ, tais como a cor de sua barraca, e se ele estava em uma área arborizada ou clareira, e que eu ficase em contacto com ele o maior tempo possível ".
"Russ e eu fomos capazes de manter contato até cerca de 8 PM no domingo,e sempre eu mantinha contato entre Russ e a Busca e Salvamento. Mas em seguida o seu sinal ficou tão fraco que eu não conseguia copiá-lo mais. Antes de seu sinal ficar fraco, tínhamos combinado para tentar fazer contato na parte da manhã. Tentei, começando em torno de 6:30, mas ele não me ouviu.Finalmente eu o ouvi me chamando as 9 em 7.051 MHz. Mantivemos contato até que ele foi socorrido finalmente pelo serviço de Busca e Salvamento, as 10:35 AM ", disse Williams à ARRL.
No domingo, equipes de salvamento encontram Ruby, que tinha montado um acampamento em Buck Creek Pass, em cerca de 6 km a oeste do Condado de Chelan. Ele foi levado em segurança segunda-feira a cavalo. Williams disse que o mau tempo impediu que no domingo um helicóptero de salvamento fizese um pouso de emergência: " nevou a noite toda; Russ disse-me que quando ele acordou segunda-feira de manhã, sua barraca estava toda coberta de neve."
"Eu passei justamente na mesma freqüência que ele pedia socorro", disse Williams. "Foi um golpe de sorte em que acabou tudo bem. Foi uma experiência e tanto. Estou satisfeito por saber que ele era um radioamador e sabia CW e que eu fui capaz de manter contato com com ele. Isso fez uma grande diferença para ele. O que eu fiz não foi nada de especial. Eu gostaria de pensar que qualquer radioamador teria feito a mesma coisa. "
MATÉRIA POSTADA NO ORIGINAL NO ENDERÊÇO:
http://www.arrl.org/news/stories/2008/09/23/10348/

Nenhum comentário:

Postar um comentário